Vinil hoje: retrato de um mercado em ascensão

Quando surgiram, em 1948, os discos de vinil foram um grande avanço para a indústria fonográfica. Em relação aos seus antecessores, discos de goma-laca, os discos feitos de vinil eram mais resistentes, permitiam maior tempo de gravação e também mais fidelidade sonora. Com isso, foram rapidamente adotados enquanto a principal mídia para reprodução de músicas ao redor do mundo inteiro. O impacto do surgimento dos LPs foi muito além de uma simples inovação tecnológica. Com os discos de vinil e a possibilidade de gravações de maior duração, foi difundido o conceito do álbum de músicas, enquanto um objeto artístico com conceito próprio, expressado não só pelas faixas em si, mas também por seus materiais gráficos de capa e encarte. A partir daí, artistas ao redor do mundo inteiro passaram a criar suas obras baseados nesses parâmetros.

Na década de 1990, com a massificação do CD, os discos de vinil foram gradualmente perdendo espaço no mercado, até o momento em que praticamente deixaram de ser produzidos. Já o CD, com a difusão do MP3 nos anos 2000 e de outros formatos digitais via internet, por volta de 2010, também começou a perder espaço, até ser deixado em segundo plano. Hoje, as plataformas de streaming musical dominam o mercado, com suas características específicas, seus defeitos e suas qualidades.

Entretanto, já há alguns anos, os LPs estão voltando. Não para competir com os streamings pela cadeira de mídia mais utilizada. Cada vez mais, surgem colecionadores e apreciadores do som analógico, de todas as idades e em diversos lugares do mundo. Essas pessoas vêm percebendo que os discos de vinil proporcionam, além de música de qualidade e dos lindos materiais gráficos, experiências extremamente marcantes. 

Quer começar sua coleção de LPs e ainda não sabe como? O NOIZE Record Club entrega mensalmente kits exclusivos com disco e revista na porta da sua casa. Assine e faça parte do clube.

O RETORNO

O consumo de discos de vinil nunca acabou por completo, mas entre os anos 1990 e 2010, ficou mais restrito ao nicho de DJs ou de colecionadores, que recorriam aos sebos para adquirir suas bolachas. Desde aproximadamente 2010, os LPs têm voltado ao centro das atenções. Apreciadores ao redor do mundo inteiro voltaram a procurar, gradualmente, os discos de vinil. Desde então, artistas passaram a lançar suas próprias prensagens, clubes de vinil surgiram, fábricas foram reativadas, sebos e lojas especializadas cresceram e um mercado inteiro passou a ser reaquecido. Os bons e velhos (ou novos) LPs reconquistaram definitivamente os corações e cabeças dos ouvintes contemporâneos. Aqui no NOIZE Record Club, temos orgulho de fazer parte dessa retomada, sendo o primeiro clube de assinaturas de discos de vinil da América Latina.

Hoje, artistas extremamente populares internacionalmente, como Rihanna, Beyoncé e Billie Eilish, realizam lançamentos em vinil que vendem milhares de cópias em poucas horas. Nos EUA, maior mercado consumidor de discos no mundo, as vendas vêm crescendo de forma constante já há alguns anos. Nesse mesmo mercado, desde o início da pandemia de COVID-19, houve um crescimento surpreendente de mais de 100% no consumo de discos de vinil. Em 2020, pela primeira vez desde a década de 1980, as vendas de LPs nos EUA foram maiores do que as vendas de CDs. Sendo assim, podemos afirmar, com muito gosto, que a volta das bolachas é um fato consumado.

Os LPs vêm gerando grande interesse no público jovem. Pessoas que, muitas vezes, não haviam sequer nascido quando os discos foram substituídos pelos CDs. O mundo do vinil se torna, nesses casos, toda uma descoberta. Além da singularidade do som analógico, também o manuseio do material gráfico, a escolha do toca-discos e equipamentos de som e o garimpo por títulos clássicos em sebos e na internet são experiências que somente os discos de vinil podem proporcionar.

VINIL DE VOLTA NO BRASIL

Não existem dados exatos quando falamos do ressurgimento dos LPs no Brasil, mas um bom marco para tomarmos como inicial foi a reabertura da Polysom em 2009, quando se tornou a única fábrica de discos de vinil em atividade em toda a América Latina. Tendo inaugurado inicialmente em 1999, em um dos momentos de menor demanda de discos de vinil, a fábrica resistiu até 2007, quando encerrou as atividades. Entretanto, em 2009, reabriu as portas em Belford Roxo, no Rio de Janeiro, e se estabeleceu enquanto a única fabricante de discos até 2017, quando a Vinil Brasil foi inaugurada em São Paulo. Até hoje, no Brasil, seguem existindo apenas estas duas fábricas. Confira aqui como os LPs são fabricados.

Outro marco na retomada nacional dos LPs foi a criação do NOIZE Record Club em 2014, sendo o primeiro clube do vinil da América Latina. O projeto surgiu da revista NOIZE,  publicação especializada em música, que já existia desde 2007. O clube entrega aos seus assinantes kits exclusivos, que contêm um LP e uma revista inteiramente dedicada ao universo do álbum da vez. Os lançamentos de clássicos e de novos nomes da música em LP contribuem definitivamente para que o público dos discos de vinil siga aumentando. O NRC se manteve enquanto o único clube de discos de vinil no Brasil até 2019, quando surgiram outros clubes no mercado.

Os sebos, lojas especializadas e vendas na internet também representam personagens importantes na reascensão das bolachas. Com paciência e algum investimento, discos raros podem ser encontrados nos sebos ainda em bom estado por bons garimpeiros. Muitas vezes, as lojas revendem os lançamentos dos clubes e até mesmo as prensagens encomendadas pelos próprios artistas. A comunidade de colecionadores de discos de vinil e curiosos cresce cada vez mais, com grupos na internet onde as pessoas conversam, trocam dicas e fazem negócios. Grupos no Facebook, como o Amigues do Vinil e o Fundão do Vinil, são extremamente ativos e, muitas vezes, até polêmicos, com discussões calorosas. Também no Brasil os LPs vêm mostrando que voltaram para ficar.

NOIZE RECORD CLUB

Desde 2014, quando iniciou as operações, o NOIZE Record Club já lançou nomes clássicos da música brasileira como Gilberto Gil, Tim Maia, Gal Costa, Elza Soares, Arthur Verocai, Raul Seixas, Sergio Sampaio, Os Paralamas do Sucesso, Jorge Mautner, Baden Powell e Vinicius de Moraes, além de novos nomes da nossa música, como Luedji Luna, Liniker, Duda Beat, BaianaSystem, Rico Dalasam e O Terno, e outros personagens importantíssimos do rap nacional, como Black Alien, Marcelo D2, MV Bill e Edgar. Confira aqui todos os lançamentos do NRC.

O clube realiza lançamentos mensais de kits exclusivos com tiragem limitada. Os assinantes já sabem que irão receber as edições, mas o período para novos membros garantirem a edição vigente vai do dia 10 de cada mês ao dia 9 do mês seguinte. Os kits são compostos por um LP selecionado pela equipe de curadoria e uma revista dedicada às histórias por trás de cada disco e artista. Os assinantes podem optar por assinaturas mensais, recebendo todos os lançamentos em casa, ou ainda pela opção bimestral, na qual recebem apenas de dois em dois títulos (pulando um mês). Um número limitado de cópias para a venda avulsa é disponibilizado no início do ciclo de cada edição e costuma esgotar em pouco tempo.

Conforme mostramos ao longo deste post, os LPs têm conquistado cada vez mais amantes. A cultura do vinil se fortalece cada vez mais ao redor do mundo e o cenário brasileiro entusiasma os apreciadores das bolachas por aqui. Os discos vivem e giram nas mais diferentes casas, com os mais variados estilos musicais, apaixonando pessoas de todos os tipos. Mesmo com o incontestável domínio dos streamings no mercado fonográfico, cada vez mais artistas decidem realizar lançamentos em vinil em paralelo aos lançamentos digitais. Não há dúvidas de que os LPs encontraram o seu lugar na atualidade e viraram grandes companheiros de quem quer ter uma relação de maior intimidade com a música.

Gostou do texto? Compartilhe com seus amigos:

Compartilhar no Facebook Tweetar Pin no Pinterest

LEIA MAIS

  • Qual tipo de colecionador de LPs é você?

    Curador, acumulador, audiófilo, ocasional, caçador de raridades, contemporâneo, fã dos clássicos e DJ. Com qual tipo de colecionador de LPs você se identifica?

  • Vinil hoje: retrato de um mercado em ascensão

    Quando surgiram, em 1948, os discos de vinil foram um grande avanço para a indústria fonográfica. Em relação aos seus antecessores, discos de goma-laca, os discos feitos de vinil eram mais resistentes, permitiam maior tempo de gravação e também mais...

  • 5 coisas que você nunca deve fazer com os seus discos de vinil

    Pense em um vinil como em uma joia: valioso e frágil, requer cuidados e conhecimentos específicos para sua conservação. Existem técnicas e ferramentas que podem auxiliar você a fazer essa manutenção, mas existem também algumas noções básicas indispensáveis para que...

FAÇA PARTE DO NOIZE RECORD CLUB